Afinal, sentar em “W” pode ou não?

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Quem nunca viu uma criança brincando no chão com as pernas posicionadas para trás, no formato de um “W”? Esta é uma das muitas posições que uma criança pode assumir enquanto brinca e não há nada de errado com isso.

O desenvolvimento motor segue uma ordem cronológica evolutiva com etapas distintas e previsíveis, caracterizadas por mudanças nas habilidades e nos padrões de movimento. As mudanças posturais durante as brincadeiras fazem parte dessa evolução sendo extremamente benéficas para a criança, pois ajudam a desenvolver os músculos do tronco favorecendo o desenvolvimento do equilíbrio e consciência corporal. No entanto, se a criança assume com frequência a postura em “W”, este hábito pode gerar problemas não só ortopédicos, mas também em relação ao desenvolvimento motor normal.

Quando a criança assume essa postura, ela aumenta sua base de apoio e fixa seu tronco, assim ela pode explorar o ambiente a sua frente, mas não conseguirá realizar a rotação de tronco, nem o deslocamento do peso lateral para alcançar brinquedos e explorar o ambiente a sua volta.

A rotação é importante para desenvolver o equilíbrio contribuindo para a aquisição  de posturas mais complexas como o engatinhar, ficar em pé e andar.

Preocupações ortopédicas

Essa postura pode predispor a criança a luxação do quadril (perda do contato da cabeça do fêmur com o acetábulo), principalmente em crianças com o quadril instável – por exemplo crianças com Síndrome de Down – por isso, se houver um histórico de frouxidão ligamentar e hipotonia muscular, esta posição deve ser evitada. Além disso, essa postura poderá levar a alterações no joelho e o encurtamento de alguns músculos importantes  como os isquiotibiais, adutores do quadril e rotadores internos.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/2″][vc_single_image image=”2648″ img_size=”full” alignment=”center”][/vc_column][vc_column width=”1/2″][vc_single_image image=”2647″ img_size=”full” alignment=”center”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Preocupações neurológicas

Se uma criança tem aumento do tônus muscular (hipertonia, espasticidade), sentar em W poderá estimular padrões indesejáveis. Além disso, a criança precisa explorar o ambiente a sua volta com liberdade para assumir posturas distintas evitando assim atraso do seu desenvolvimento motor.

Agora é a sua vez

Tente sentar em várias posições, inclusive em “W”. Observe como você chegou lá, saiu, o que era necessário para se equilibrar? Sua rotação de tronco? Peso deslocado? Quais reações foram necessárias para atingir novas posturas?

É muita coisa, não é? Por isso, para uma criança que esta iniciando seu desenvolvimento motor, nosso papel é facilitar seu desejo pela exploração permitindo que ela tenha liberdade de movimento (com segurança) durante a brincadeira.

LEMBRE-SE: A melhor estratégia para prevenir complicações é evitar o hábito. Uma boa postura deve ser aquela que previne movimentos compensatórios, distribui adequadamente o peso e conserva energia.

Boa brincadeira!

[/vc_column_text][vc_raw_html]JTNDZGl2JTIwaWQlM0QlMjJsaXN0YS1iZWJlcy0xMDAzYWQ0ZGFkOTE5N2ZjYmJkZCUyMiUzRSUzQyUyRmRpdiUzRSUwQSUzQ3NjcmlwdCUyMHR5cGUlM0QlMjJ0ZXh0JTJGamF2YXNjcmlwdCUyMiUyMHNyYyUzRCUyMmh0dHBzJTNBJTJGJTJGZDMzNWx1dXB1Z3N5Mi5jbG91ZGZyb250Lm5ldCUyRmpzJTJGcmRzdGF0aW9uLWZvcm1zJTJGc3RhYmxlJTJGcmRzdGF0aW9uLWZvcm1zLm1pbi5qcyUyMiUzRSUzQyUyRnNjcmlwdCUzRSUwQSUzQ3NjcmlwdCUyMHR5cGUlM0QlMjJ0ZXh0JTJGamF2YXNjcmlwdCUyMiUzRSUwQSUyMCUyMG5ldyUyMFJEU3RhdGlvbkZvcm1zJTI4JTI3bGlzdGEtYmViZXMtMTAwM2FkNGRhZDkxOTdmY2JiZGQtaHRtbCUyNyUyQyUyMCUyN1VBLTU4NjQzMzkwLTElMjclMjkuY3JlYXRlRm9ybSUyOCUyOSUzQiUwQSUzQyUyRnNjcmlwdCUzRQ==[/vc_raw_html][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_separator color=”custom” accent_color=”#ea357e”][vc_single_image image=”2295″ style=”vc_box_circle_2″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Samara Quintanilla é Fisioterapeuta formada pela Universidade Federal de São Paulo-UNIFESP(V). Atua como Residente em Pediatria e Neonatologia no Hospital São Paulo e trabalha nas Unidades de Terapia Intensiva Pediátricas e Neonatais no Hospital Estadual de Diadema. Atende bebês e crianças em domicílio. Faz parte da Equipe Multiprofissional da Associação de Reabilitação Coração Valente possibilitando uma maneira eficiente e agradável através da terapêutica com cavalos na reabilitação e na inclusão social de crianças,jovens e adultos com necessidades especiais.

Consultório em São Bernardo do Campo | SP

Telefone: (11) 95220-7306

E-mail: samarafquintanilha@gmail.com

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_facebook][vc_tweetmeme][vc_googleplus annotation=”inline”][/vc_column][/vc_row]