Conheça a Hidroterapia

Dia 21 de março foi celebrado o Dia Internacional da Síndrome de Down, o que torna esse mês muito especial, pois cria uma oportunidade para concentrar nossa atenção em novas informações e dar visibilidade à luta por direitos e comemoração a vida. Então, que tal explorarmos um pouco o mundo das nossas crianças e conhecer melhor uma terapia fantástica? A terapia aquática. Vamos lá!

A Criança com Síndrome de Down

As diversas características presentes na Síndrome de Down como a hipotonia muscular, a hipermobilidade articular e os deficits no controle postural reduzem a velocidade e a coordenação dos movimentos, limitam as experiências visuais, de equilíbrio e sensibilidade tátil resultando em um pobre repertório motor. O retardo mental pode influenciar a capacidade de aprender novas habilidades, uma vez que falta curiosidade e motivação para explorar o ambiente. Neste sentido, esforços têm sido realizados na tentativa de promover uma melhor qualidade de vida e maior participação social na comunidade por meio de estratégias de reabilitação adaptadas e focadas às necessidades específicas da criança, com a inclusão da equipe multidisciplinar e principalmente dos familiares durante seu desenvolvimento.

Você conhece a Hidroterapia?

A hidroterapia é utilizada como um recurso auxiliar na reabilitação ou prevenção de alterações funcionais. Ela utiliza as propriedades físicas da água como empuxo ou flutuação, pressão hidrostática, resistência ao movimento com sobrecarga natural no corpo imerso em piscina aquecida objetivando o relaxamento, analgesia e redução de impacto, que associada a movimentos e exercícios específicos potencializam seus efeitos terapêuticos.

Hidroterapia e a Síndrome de Down

A hidroterapia expõe as crianças a um ambiente rico em possibilidades de movimento, aumenta a sociabilização, sendo representada por um ambiente agradável e rico em estímulos e é auxiliada por atividades lúdicas. Associada ao conceito neuroevolutivo ajudará a melhorar a percepção espacial e corporal, contribuindo para uma melhor integração sensorial, o que proporcionará maior mobilidade no solo e, com isso, ganho mais significativo das habilidades motoras antigravitacionais, auxilia no fortalecimento da musculatura respiratória e favorecer a função pulmonar além de outros benefícios sistêmicos.

Qual a idade adequada para iniciar?

Normalmente entre 3 e 4 meses. Consulte o pediatra para avaliação e liberação, assim tanto o terapeuta quanto a família estarão seguros para iniciar a terapia.

Qual a frequência do tratamento?

O Fisioterapeuta irá determinar o número de sessões após avaliação e estabelecimento de um plano terapêutico que será específico para cada paciente. As sessões tem duração de 40 a 60 minutos.

Essa é uma opção terapêutica valiosa, pois é prazerosa e pode levar a resultados surpreendentes. Aproveite para conhecer os locais que disponibilizam a terapia e seus terapeutas. Boa diversão!

Caso tenha interesse, você pode se inscrever na nossa lista e ser notificado sobre as próximas publicações da categoria Síndrome de Down. Para isso, basta deixar seu e-mail no campo abaixo:

Samara Quintanilla é Fisioterapeuta formada pela Universidade Federal de São Paulo-UNIFESP(V). Atua como Residente em Pediatria e Neonatologia no Hospital São Paulo e trabalha nas Unidades de Terapia Intensiva Pediátricas e Neonatais no Hospital Estadual de Diadema. Atende bebês e crianças em domicílio. Faz parte da Equipe Multiprofissional da Associação de Reabilitação Coração Valente possibilitando uma maneira eficiente e agradável através da terapêutica com cavalos na reabilitação e na inclusão social de crianças,jovens e adultos com necessidades especiais.

Consultório em São Bernardo do Campo | SP

Telefone: (11) 95220-7306

E-mail: samarafquintanilha@gmail.com