Como tratar o joanete juvenil?
Saiba o que fazer
 

Joanete é a denominação popular para o desvio lateral do grande dedo do pé, em direção aos menores dedos. Em grandes deformidades haverá sobreposição do segundo dedo sobre o primeiro. A denominação médica é “Halux valgo juvenil”.

Frequentemente, a deformidade é observada no início da adolescência, podendo estar associado ou não a dor e dificuldade com o uso de calçados. Portanto,adolescentes podem ter joanete e o diagnóstico precoce tem sua importância para prevenir grave deformidade.

 
Ocorre grande preocupação por parte dos familiares e do próprio paciente com o aspecto estético do dedo e do pé. Frequentemente procuram o atendimento médico visando melhora na aparência do pé alívio dos sintomas dolorosos.


Qual a causa do Joanete?
 

A causa é desconhecida. Não há um único fator responsável pela deformidade. Existem múltiplos fatores que contribuem:


– História familiar positiva é um fator a ser considerado. 


– Predileção quanto ao sexo: Sabemos que joanete é mais frequente em meninas


– Hipermobilidade articular, pode ser constitucional ou secundário à síndrome genética como a Síndrome de Down, onde o excesso de movimento das articulações como um todo favorecem a gênese da deformidade dos pés


– Uso de calçados com a parte de frente estreita, que apertam os dedos contribuindo para desvio lateral do primeiro dedo



– Uso de salto alto: Sabemos que as meninas vaidosas na adolescência e, algumas vezes mesmo antes desta fase, têm interesse em usar sapatos com salto, sendo isso considerado fator de risco para deformidade nos dedos

Os malefícios do salto alto em jovens e adolescentes
 
 

A elevação da parte de trás do calçado proporcionado pelo salto alto, faz com que ao longo da caminhada o pé escorregue para frente do calçado.


Geralmente, sandálias de salto têm a parte da frente estreita e, consequentemente, essa combinação de fatores vão fazer com que os dedos fiquem espremidos na frente do calçado, favorecendo ao desvio não só do grande dedo como dos demais também. 


Além disso, caminhar com a parte de trás do pé elevado durante a fase de crescimento dos jovens, a longo prazo, vai proporcionar o encurtamento da musculatura da panturrilha, o que é outro fator de risco para a deformidade dos dedos. 


Sandálias de salto fazem com que o peso do corpo fique localizado só na frente do pé, com isso, muito peso é apoiado em uma pequena área do pé, gerando calosidades dolorosas e muitas vezes intratáveis, dificultando a marcha de longos trajetos.

A Consulta Médica

 

O que é importante analisar?


– O formato do pé com o jovem em pé. 


– Como se comporta o pé na marcha.


– Examinar o arco medial do pé (curvinha). 

– Examinar a mobilidade do halux e sua redução com a manipulação passiva.

– Avaliar dor a palpação local.


– Saber se há ou não hipermobilidade das articulações e analisar o surgimento e localização de calosidades dolorosas


Exame de imagem é necessário?
 

Sim, é fundamental. Com isso conseguimos classificar a deformidade em leve, moderada ou grave. Essa classificação se baseia em ângulos traçados pelo médico assistente, no exame de imagem. Além disso, é possível diagnosticar alterações anatômicas nas articulações do pé e fazer o planejamento cirúrgico corretivo nos casos selecionados.

Programando o Tratamento
 

motivo da consulta é dor no dedo ou nas calosidades, e a preocupação é com o aspecto do pé.


O tratamento conservador visa orientação quanto a mudança nos tipos de calçado, evitando calçados com a frente estreita e o uso de salto alto. Deve ser dada sempre preferência por calçados com a frente mais larga de formato quadrangular evitando a frente de aspecto triangular. O tratamento conservador não corrige a deformidade, apenas alivia sintomas e evita os fatores de risco para a progressão.

Quando está indicado cirurgia?
 

Assunto controverso na literatura mundial. A correção da deformidade só é possível com cirurgia. Os melhores resultados estão associados às correções próximo da maturidade esquelética, evitando assim riscos de recidiva com o crescimento. Parece consenso que a cirurgia só deve ser feita em casos dolorosos que falham no quesito analgesia, com o tratamento conservador e naquelas deformidades que tem comportamento progressivo. Cirurgia por simples questão estética é contra indicada. Existem várias técnicas operatórias, sendo que cada caso deve ser avaliado individualmente.



Portanto, joanete não é patologia só de adulto. Muitas vezes a deformidade surge na adolescência. Diagnóstico precoce e recomendações quanto aos calçados adequados são fundamentais para evitar que a deformidade piore. Em caso de falha do tratamento conservador, e em pacientes próximo da maturidade esquelética, a cirurgia oferece bons resultados no quesito analgesia, função e estética dos pés.



Obrigado pela atenção,

Um abraço a todos,

Dr. Maurício Rangel (Ortopedista Pediátrico) 

Tels. para agendamento de consulta: (21) 3264-2232/ (21) 3264-2239