A Postura da Coluna Vertebral
  Uma das maiores preocupações dos pais está relacionada à postura dos filhos, especialmente em relação à coluna torácica (motivo freqüente de consulta ortopédica).
  A postura que as crianças adotam quando sentadas na cadeira, ou quando estão em pé (onde os ombros inclinam para frente, com um aumento da curvatura da coluna torácica), deixa seus pais apreensivos com relação à aparência e dor no futuro. Para que isso não ocorra, a avaliação precoce é fundamental para as orientações, tratamento e resultados.
Anatomia
 
 
  A coluna torácica é o segmento localizado abaixo do pescoço e acima da cintura. É formado por 12 vértebras, separadas por discos intervertebrais.
  As vértebras são organizadas uma sobre as outras, formando uma curvatura conhecido como cifose torácica, dando um aspecto levemente arredondado à nossa coluna.
  Portanto, nossa coluna torácica não é reta, sendo normal nós termos cifose fisiológica, indolor e leve.
Queixas
 
  Os pais relatam que seus filhos apresentam as costas arredondadas ou com uma espécie de “caroço” (conhecido por nós, médicos, como Gibosidade).
  Chama atenção quando a criança está sentada, em pé, ou quando vai se abaixar (inclinando o tronco para frente para pegar um objeto no chão, por exemplo).
  Geralmente não há dor, mas quando presente é vaga, leve, mal localizada e com melhora espontânea (ou seja, sem uso de analgésicos).
 
Consulta
  O Exame Físico é o mais importante. A inspeção da coluna, sempre com o paciente sem camisa, determina se há aparente aumento da cifose torácica ou se o aspecto é de curva fisiológica.
  Existem manobras específicas que determinam a flexibilidade da coluna ou a existência de deformidades rígidas.
  É importante também analisar a altura dos ombros e da pelve, para afastar deformidade conhecida como Escoliose (desvio lateral da coluna com rotação dos corpos vertebrais).
  Exame neurológico dos membros inferiores, com medição do comprimento, completa a avaliação médica.
Como saber se a Cifose é fisiológica?
  A única forma objetiva de saber é com exame de imagem panorâmico da coluna vertebral com a criança em pé.
  É possível analisar a forma das vértebras, medir o angulo formado entre elas , além de determinar a existência ou não de escoliose associada.
Existe um valor, medido na radiografia, que caracteriza Cifose Fisiológica
Quando devemos ficar preocupados?
 
– Curvas rígidas e irredutíveis no exame físico;
– Medição acentuada nas imagens;
– Deformidade nas vértebras vista nas imagens;
– Piora progressiva da deformidade entre uma consulta e outra;
– Deformidade com dor constante que exige uso de analgésicos.
Tratamento
  Curvas Fisiológicas, leves, indolores, com vértebras com aparência normal nas imagens, devem ser acompanhadas e não precisam de tratamento.
  Orientações quanto às posturas durante as atividades diárias, feita pelos pais ou educadores, é fundamental.
  Procurar usar sempre o apoio das cadeiras, destinados a coluna torácica quando estiver sentado, e fazer atividade física regular.
  As consultas devem ser feitas a intervalos semestrais, podendo ser antecipados em caso de novas queixas.
  Curvas Patológicas, acentuadas, dolorosas, rígidas e progressivas devem ser tratadas com colete, sendo o de Milwaukee o mais utilizado. Além de Exercícios Fisioterápicosde Reabilitação Postural. Em casos graves e sem resposta ao tratamento conservador, existem as indicações cirúrgicas de correção.
Algumas dicas dever ser levadas em consideração:
 
– Sempre orientar crianças e adolescentes quanto as suas posturas em domicílio;
– Ter cadeiras adequadas, com bom encosto para a coluna vertebral e confortáveis, é fundamental;
– Sempre alternar períodos de leitura sentada, com períodos de descanso adequados, para que mudanças posturais possam ser realizadas;
– Ter sempre exercício físico regular;
– Controle do peso corporal, principalmente para a proteção da coluna lombar
 
Portanto, a postura da Coluna Vertebral é um assunto importante do ponto de vista médico, com consequências futuras para a vida da criança com relação a aparência e a função. Deve ser avaliada precocemente e tratada adequadamente, garantindo bons resultados com satisfação da família e do próprio paciente.